Cuidando da saúde mental

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Janeiro é o mês que fala sobre a conscientização e cuidado com a saúde mental. Como você está? Como está sua saúde mental? Já parou para pensar no assunto? Alguma vez refletiu se os seus pensamentos, ideias e sentimentos estão em harmonia?

Como lidamos com essas emoções é o que determina como está a qualidade da nossa saúde mental.

Sabemos que hoje em dia existem muitos problemas que acabam fazendo com que nossa saúde mental seja afetada, como: estresse, tristeza, brigas, atrasos, limitações, incapacidades, doenças, entre outras. Mas alguns exercícios diários podem ajudar a manter a nossa saúde mental em dia, como:

  •  Acolher suas emoções;
  •  Buscar auxílio profissional. Faça terapia!
  •  Estabelecer uma rotina
  •  Conectar-se com pessoas que você ama;
  •  Evitar o excesso de informações;
  •  Permitir-se descansar.

 

Uma grande fonte de sofrimento atualmente é o trabalho.

Dedicamos grande parte do tempo de nossas vidas ao nosso emprego e nem sempre isso é prazeroso ou satisfatório. A alta taxa de desemprego no País, a baixa remuneração, más condições de trabalho, falta de planejamento profissional, entre tantos outros, são questões que levam ao aumento significativo de diversos transtornos.

 

Existe preconceito

E ele é bastante presente na sociedade. Começando pelo lugar que a loucura ocupou na história – o louco como alguém a ser afastado, enclausurado, aquele que não compartilha da ‘mesma realidade’ que os demais. Durante bastante tempo a loucura esteve associada às questões metafísicas de forma negativa. Aquele intangível que está relacionado ao mal, ao descontrole, ao diferente. Hoje em dia, as questões de saúde mental ainda ocupam um lugar bastante nebuloso. Um diabético tem um exame com uma medida glicêmica que prova o que ele tem e o mesmo vale para questões cardíacas e as demais doenças crônicas. Como a saúde mental está no corpo e no meio, muitas vezes é concebida como uma fraqueza do sujeito, algo sobre o qual ele teria condições de atuar e não o faz.

 

A maioria da sociedade ainda tem dificuldade em reconhecer que é uma doença e ainda ampliar o conceito de saúde e doença. Não dá mais para serem conceitos antagônicos; ter saúde não significa necessariamente não ter nenhuma doença.

 

Não feche os olhos. Não buscar ajuda contribui para o agravamento do estado emocional, o que pode levar a pensamentos suicidas.

 

Fonte: www.einstein.br/saudemental

Veja também