Conheça nomes que fizeram história na educação brasileira!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

No dia da educação trazemos para vocês grandes nomes que fizeram história na educação brasileira. Pessoas que lutaram e conseguiram que todos tivessem acesso ao ensino. Mulheres e negras que conseguiram abrir espaço para dar voz e vez a essa classe que, por muito tempo, foi silenciada. Homens que viram no ensino uma grande oportunidade de implementar um movimento de alfabetização. Pessoas que não mediram esforços para trazer o ensino a todos! Confira alguns nomes abaixo!

 

  • Nísia Floresta

Viveu no Brasil entre 1810 e 1885, em um período em que as mulheres não tinham acesso à educação. Estudou em um convento de carmelitas em Pernambuco, onde futuramente teve contato com ideais liberais. Foi educadora, escritora, feminista e abolicionista. Escreveu 15 livros, publicou artigos sobre direitos das mulheres e fundou no Rio de Janeiro uma escola para meninas.

Inspirada nos ideais liberais e iluministas, reivindicou que as mulheres tivessem acesso às mesmas oportunidades que os homens e destacou que a exclusão das mulheres dos espaços de educação sufocavam suas potencialidades, tanto na ciência como em cargos públicos.

  • Paulo Freire 

Ele tem toda sua história contada por meio de fatos da educação. Autor de vários livros e premiado por muitos de seus trabalhos, Paulo Freire também foi secretário de Educação do município de São Paulo. No cargo, teve destaque com a implementação de movimentos de alfabetização, além da revisão curricular. Foi professor de História e Filosofia da Universidade do Recife e trabalhou também como educador na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

O professor que recebeu homenagens por todo o mundo, também conquistou o título de Doutor Honoris Causa, que é atribuído para personalidades que tenham se destacado pelo saber ou pela preocupação social. “Paulo Freire é uma referência internacional da educação. Criou o método de alfabetização adulta e alfabetizou um grupo de trabalhadores no Rio Grande do Norte em 44 horas com um método inovador” destaca Palma.

Recentemente, recebeu o título de Professor Emérito In Memória pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), que foi recebido pela viúva Ana Maria Freire.

  • Maria Amélia Pereira

Com trajetória voltada sobretudo à infância brasileira, dedicou seus esforços a falar da criança com seu universo, linguagem e repertório próprios. Defende a presença da cultura e diversidade brasileira, com suas raízes musicais, estéticas e mitológicas.

Em Salvador, enquanto cursava o magistério, teve contato com uma das mais importantes experiências da história da educação brasileira: Escola Parque de Salvador, idealizada por Anísio Teixeira. Impactada com essa concepção de educação e infância, iniciou sua trajetória como educadora comprometida com processos educacionais significativos e que consideram o ser de forma integral.

  • Anísio Spínola Teixeira 

Inquietação foi a marca de Anísio Spínola Teixeira. Precursor de grandes mudanças na educação brasileira no século 20, Teixeira foi pioneiro na implantação de escolas públicas para todos os níveis, proporcionando assim uma educação gratuita para todos.

Palma destaca as ações de Teixeira na Bahia, onde foi inspetor educacional e fez parte de um grupo com 26 educadores, criando o manifesto “Pioneiros Pela Educação Nova”, conhecido como Escola Nova que buscava um sistema estatal de ensino livre e aberto. Teixeira também é autor de diversas obras voltadas para a educação.

  • Macaé Evaristo

Mulher e negra, ocupou com resistência e persistência cenários de política quase sempre dominados por homens brancos. Ocupou importantes espaços de gestão da educação em Minas Gerais e em todo o país.

Sua trajetória se destaca pelo engajamento em um projeto de educação e de país que integre a diversidade brasileira, traduzido na educação integral. Para ela, a educação só consegue avançar em termos de inclusão e qualidade quando é capaz de entender e atender sujeitos na sua integralidade, acolhendo comunidades e territórios.