História: suposto mapa que explica a posição das estátuas da Ilha de Páscoa é encontrado por cientistas

Não é novidade que tudo que envolve as famosas estátuas da Ilha de Páscoa, mais conhecida como moais, na Polinésia oriental, é um mistério para arqueólogos, antropólogos, historiadores e curiosos. Construídas em homenagem a pessoas importantes dos clãs que viviam por lá séculos atrás. Elas representavam o centro cerimonial de cada vila e nunca ficavam de frente para o mar – sempre olhando para o interior dos povoados, como grandes protetores de pedra.

Um estudo, recém-publicado no periódico PLOS One, acredita que a posição das estátuas tem um significado além do que já conhecemos.

De acordo com os pesquisadores, elas marcavam a localização de fontes de água fresca e potável, um recurso indispensável em um território pequeno.

Num espaço tão pequeno, grupos diferentes precisavam competir por mantimentos básicos. E todo mundo precisava de água potável. Na ilha, a água doce que vem dos aquíferos geralmente desponta na superfície em fontes específicas, espalhadas perto da costa.

Antropólogos da Universidade de Oregon fizeram uma análise espacial de onde ficam as moais – e concluíram que não apenas a posição das estátuas pode ter sigo escolhida para criar um “mapa” de onde ficavam as fontes de água, quanto dar detalhes sobre cada uma.

Curioso, não é? Todo dia uma descoberta.

 

*Com informações da Superinteressante

Compartilhe!